Sopa de Pai

Dizem que quando um filho nasce também nasce um pai. Foi pensando nessa transformação que decidi registrar em um blog a minha gestação como pai: nove meses de espera, nove meses de dúvidas e descobertas. 

Agora todos os textos do diário virtual foram reunidos em um livro, com ilustrações de Nara Isoda, prefácio da jornalista Paula Perim, e quarta capa escrita pelo meu próprio filho Enrique, de cinco anos, Sopa de Pai conta algumas histórias dessa rotina de mudanças vivida pelo casal, das neuras e temores que passam na cabeça dos pais enquanto se espera a chegada de um bebê. 

Mas além das inseguranças e das pequenas conquistas diárias, divido dicas preciosas para quem, assim como eu, está embarcando nessa viagem pela primeira vez: informações e fontes sobre parto, lista de compras, reforma do quarto, exames. São assuntos que pelo machismo da sociedade não são discutidos pelos pais, é coisa da mãe. 

E nesse livro a ideia é justamente mostrar que existem milhares de formas de pais e que há o pai ativo, o pai que vive aquele momento junto com a sua companheira.  

Além de questões práticas, como o planejamento financeiro da nova família, no livro levanto também questões mais filosóficas sobre o significado de ser pai. Não quero fazer deste espaço um lugar de ensinamentos, mas de circulação de experiências, de relações entre pessoas que podem se ajudar. 

Talvez esse livro chegue até você com umas páginas sobradas, um cantinho amassado, uma sujeirinha aqui, outra ali. Sabe por quê? Porque eu NÃO deixei que fosse embalado no plástico! É preciso quebrar o ciclo de consumo deste material. Esse ciclo invisível, quase automatizado, que embala tudo em plástico. Dessa forma, ele te chega assim: como um chão de escola! 

Sim, um pouquinho por vez, sempre que podemos, para mudarmos e preservarmos o nosso mundo! 

Um beijo e boa leitura, 

Marcelo Cunha Bueno