A MOCHILA DE BRINQUEDOS

By 16 de janeiro de 2018 abril 5th, 2019 #SopaDePai

Sempre que viajamos, preparamos uma mochilinha de brinquedos para o Enrique. Fizemos uma longa viagem de um mês pela Nova Zelândia. Para onde íamos, a mochila nos acompanhava. É uma linda saída para aqueles momentos mais complicados de cansaço nos restaurantes, no carro, nos passeios. Nada como ter um brinquedo como companhia! No último dia de viagem, tomamos um táxi para o hotel e, na correria, não percebemos que a mochila ficara no carro, no banco… 

Ao chegar no quarto, Enrique me olha com uma cara assustada. Não sei o que me deu, mas entendi na hora o que havia acontecido! Meu mundo caiu! Comecei a procurar a mochila por todos os cantos do quarto, mesmo sabendo que ela não estava lá. Comecei a contar quais os bonecos, carrinhos, pecinhas estavam dentro dela. Ele começou a chorar, eu desabei na cama, paralisado. Comecei a falar que ele era o responsável por cuidar de suas coisas, que havia perdido seus brinquedos favoritos, que eu não poderia ficar sem eles… eu? Sim, estava sofrendo e queria culpar alguém. Coitado do Enrique. Nesse momento, abracei-o. Ao longo do dia, começou a brincar sozinho… eu me perguntava como podia ser assim, tão desprendido… Ele me olhava e fazia uma cara de pena. Fomos almoçar e me dizia: eu esqueço toda hora que perdi os meus brinquedos. Sim, filho, essa é uma maneira de seguirmos adiante. Mas eu não conseguia superar. Talvez o filho do motorista do táxi brinque com eles e eles não sintam saudades de mim. É, filho, talvez.  

Voltamos ao hotel, já de noite. A moça da recepção nos chama com uma cara feliz. Enrique me olha e diz: acho que eles não aguentaram de saudades de nós.  

#SopaDePai #🔵🔵🔵  

Marcelo Cunha Bueno é educador há mais de 20 anos, inspirado pelo chão da Escola, especialista em desenvolvimento infantil. 

15 Comments

Leave a Reply