DURA CONSTATAÇÃO

By 30 de novembro de 2016 abril 8th, 2019 #PapoReto

Foi uma tragédia! Algo inexplicável! Como presenciamos, todos os dias, com as notícias que chegam dos lugares em guerra, que sofrem com a fome, dos refugiados, dos abandonados pelos governos. A lista de tragédias é extensa. Aprendemos, na marra, a conviver, diariamente, com a fragilidade humana. A constatação de que a vida pode valer nada vem à tona quando presenciamos e vemos eventos como o que aconteceu, por exemplo, com o avião que caiu e que matou jornalistas, dirigentes e jogadores de futebol. Tristeza. Essa mesma tristeza que sentimos quando vemos a vida se tornar violenta, agressiva, sem amor. Luto por morrermos, todos os dias, um pouco com a tragédia que a humanidade atravessa. 

E parece que tomar conhecimento, racionalizar esses acontecimentos, ao invés de nos ajudar a elaborar, faz com que superficializemos, banalizemos o sentir. Noto isso nas postagens, nas reportagens. Não temos tempo de silenciar, de digerir, de acomodar as perdas. Não refletimos sobre os fatos mais. Não falo só do ocorrido com o avião, falo do que tem acontecido em todo o mundo. A banalização das emoções, a transformação do que sentimos em coisas é o que nos distancia do entendimento da vida. 

A foto do menino sozinho, no seu templo, do seu time de heróis, é a representação do que precisamos: precisamos de tempo e espaço. Precisamos olhar para o nada para enxergar o tudo em nós! Nossa completude preenchendo os espaços vazios deixados pelos nossos ídolos, por pessoas desconhecidas, que revelam como somos frágeis e como vivemos pouco o presente! Como educadores e educadoras, deveríamos proporcionar esse espaço de reflexão íntima. Um espaço do agora, do hoje, que valorize cada momento, cada pessoa, que cultive amor e generosidade. Um espaço de escuta, de ressignificação sensível dos acontecimentos. Oferecer às crianças recursos afetivos para elaborarem o que escutam de uma rede de informações displicente, de famílias tomadas pelo mesmo bombardeio de informações, que nos afastam da dor e da constatação do que somos. 

Não é à toa que se pede, sabiamente, um minuto de silêncio! 

#duraconstatacao#forçaChape #PapoReto #🔵🔵🔵

Marcelo Cunha Bueno é educador há mais de 20 anos, inspirado pelo chão da Escola, especialista em desenvolvimento infantil.

22 Comments

Leave a Reply